domingo, 4 de março de 2012

Expansão em alma casmurra




Dissabor é o querer constante; o dissonar e provocar fagulhas de algo imemorial guardado na memória velha e desgostosa.  Uma música que soa como sino velho pendurado na porta da casa na roça. Aquele casebre em que se olha pela janela e se vê, além de cheiro de mato e árvores bem frondosas.

Janela aberta é mundo que não acaba mais. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário