sábado, 25 de fevereiro de 2012

Retôrno



Sinto que morri em cada lembrança de ontem.
Estiquei o tempo, sem mais delongas, me perdi:
Sem prumo, sem vela, sem barco, sem mar...
Sinto o pó da estrada, a terra batida em mim;
No horizonte sereno sigo a pé, beirando o vento,
resvalando a correnteza, onda a onda, distante...
Agora, levo um amor bem grande na alma, corpo
E me sinto inteira; e sinto que me basto em você.




J.

Nenhum comentário:

Postar um comentário