quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Lamento





Vai, num desatino inconsistente do acaso,
Que a tua idade é tão eterna de presente...
Destino tênue, frívolo... Um instante...
E ficamos...
Ainda que sobrevivencia, sonhei, seja o ocaso
E que teu corpo reverbere a despedida
(distante),
Em nosso olhar, o conforto do teu colo...
Vai e nós sabemos...
Daqui a pouco nascerá um dia lindo:
O céu sorrindo, colorido de um aceno
Em paz...

Nenhum comentário:

Postar um comentário