quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Desembarque



Aperto o desassossego pra ver se calo
Nos pés, o andar cansado
Cheio de arritmias,
O olhar de quem ficou na estação...
O corpo segue, balança num parque
Silencia a respiração infinita das cores...
Pincelo átomos pra ver onde há espaço
E adianto:
Céu sai de preto quando espera lumiar o dia.
Restaurante de homens é cocho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário