segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Falo


Nu, traz pra mim um verso virgem;
Tão puro quanto o nosso tempo...
Vem, na mansidão das vagas horas
Que desfilam no desfiladeiro
De minha’alma, tão chorosa
- De saudade.
Fala o meu silêncio no teu corpo
A minha inércia que te abriga
Em tantos e todos os olhares
Em fulgores alhures infinitos
Conta , então, à prosa
Minha vida que tua mão carrega,
Desfiando meu sorriso em
Mais sorrisos de você...
Figura: os beijos - Rodin

Nenhum comentário:

Postar um comentário