sexta-feira, 22 de setembro de 2017

necessária solidão
uma tessitura
simbólicas palavras
um sincopismo cerebral -
que é quase ode ao nada - 
e no tecido desterro,
do racional e austero,
a vida des(fi)ada:
representação em desenho,
nas paredes,
desatino.
a beleza e o silêncio -
ali sobrepostos em três -
reflexos pujantes
dos olhos moventes
conforme os falantes não ditos
do pensamento

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

escorrego

quando caminhos se entrecruzam
                            o tempo é agora 
a vaguidão da linguagem amplia os corpos
                            radiofônicos
                            reverberantes
                            autorrefletidos
ecoam-se, se escoam 
não adianta:
o andar da hora está na circularidade
das questões
e o retroalimentar acaba
interseccionado em lamúrias
inalcançáveis



quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Em dentro



Sinfônico segredo disfarça o ar do não ser o que é
O negativo do solado são pegadas
                 não pisadas
                 não deixadas
Go, outsiders!
Babem cola
enquanto colo os pedaços
                        as cinzas
                        e o tempo

Triciclo

manhã que golpeia os olhos
eles são febris porque não veem
dessentidos
ressaca espiritual pela opressão
aperta o peito e diminui o tempo
comprimidos
batem os descompassos do não devir
sopram resilientes as forças que não desatam
silêncios
E, subitamente,
Emudecemos


manhã que golpeia os olhos
eles são febris porque não veem
dessentidos
ressaca espiritual pela opressão
aperta o peito e diminui o tempo
comprimidos
batem os descompassos do não devir
sopram resilientes as sombras que não desatam
silêncios
E, subitamente,
Emudecemos


manhã que golpeia os olhos
eles são febris porque não veem
dessentidos
ressaca espiritual pela opressão
aperta o peito e diminui o tempo
comprimidos
batem os descompassos do não devir
sombras
sopram resilientes as forças que não desatam
silêncios
E, subitamente,
Emudecemos

sexta-feira, 4 de julho de 2014